Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Obesidade pode ser culpa dos genes, diz estudo americano

Obesidade pode ser culpa dos genes, diz estudo americano

De acordo com o estudo, o DNA também tem participação na forma como o indivíduo acumula gordura

Foto: Getty Images

Os genes são os grandes culpados pela saliência na região da cintura, diz um novo estudo. Enquanto as dietas desempenham um papel importante na questão da obesidade, algumas pessoas já nascem programadas para ficarem gordas facilmente, indicam pesquisadores americanos. As informações são do jornal britânico Daily Mail.

O aumento da obesidade ao longo das décadas sempre foi associado a dietas ricas em gordura e açúcar, associados a um estilo de vida sedentário. Já nos dois anos do estudo, os pesquisadores observaram o efeito de dietas altamente calóricas em mais de 100 linhagens de ratos de laboratório. Os cientistas localizaram 11 regiões do código genético associados com a obesidade e com o ganho de gordura devido à dieta. Muitos destes dados foram sobrepostos a estudos com humanos.

Os pesquisadores acreditam que o estudo abre portas para novas investigações comportamentais e neurológicas e como elas se relacionam com as características de obesidade.

(Fonte: Terra)

 

Comer apenas três vezes ao dia é melhor para mulheres obesas, diz estudo

Comer apenas três vezes ao dia é melhor para mulheres obesas, diz estudo

Diz-se que comer várias vezes ao dia, de 3 em 3 horas, em pequenas porções, ajuda a manter a forma e é benéfico para a saúde. No entanto, uma pesquisa da Universidade de Missouri, publicada no jornal Obesity, mostra que essa idea não funciona com mulheres obesas.

O estudo mostra que comer poucas vezes ao dia, mas em porções maiores, resultou em melhor metabolismo e diminuição de gordura no sangue, o que poderia também diminuir o risco de doenças cardíacas.

O estudante de nutrição da universidade, Tim Helden, conduziu uma pesquisa em que eram acompanhadas oito mulheres obesas em dois períodos de 12 horas por dia. Todas ingeriram 1,5 mil calorias, mas algumas em 3 refeições de 500 calorias cada, e outras em 6 refeições de 250 calorias cada. A cada 30 minutos foram medidos o nível de gordura e de açúcar no sangue, e o grupo de 3 refeições ao dia teve uma diminuição considerável de gordura.

"A mídia e profissionais da área de saúde dizem para fazer várias pequenas refeições por dia, mas não achamos na literatura muitos estudos que comprovem esse senso coumum. Por isso, resolvemos estudar o assunto", disse Heden.

(Fonte: Terra)

Proteína pode explicar porque algumas pessoas queimam menos gordura do que as outras

Proteína pode explicar porque algumas pessoas queimam menos gordura do que as outras

Pesquisa feita com camundongos descobriu que carência da proteína p62 prejudica a atividade da "gordura boa" e torna os roedores obesos.

A equação para perder peso é simples: basta gastar mais calorias do que se consome. Algumas vezes, no entanto, a prática de exercícios parece não surtir efeitos na queima de calorias. Diante disso, pesquisadores da Alemanha desenvolveram um estudo para entender por que esse 'defeito' ocorre no organismo de algumas pessoas — e as conclusões apontaram para um culpado: a falta de uma proteína chamada p62. Segundo os cientistas, a carência dessa substância no tecido adiposo afeta o equilíbrio do metabolismo, fazendo com que o nosso corpo passe a armazenar mais gordura e a queimá-la menos do que o normal. A descoberta, eles acreditam, pode abrir caminho para novos tratamentos contra a obesidade.

(Fonte: Veja)

Brincadeiras sedentárias podem causar obesidade infantil

Brincadeiras sedentárias podem causar obesidade infantil

O acompanhamento do desenvolvimento da criança deve ser feito periodicamente com o pediatra, avaliando peso e altura ou comprimento, no caso dos bebês. Mas, diferentemente do adulto, em que apenas essa relação é suficiente, com as crianças é preciso levar em conta a idade e os exames laboratoriais, pois há momentos em que ela fica mais gordinha para estocar energia para a fase seguinte, quando haverá crescimento.

Caso a obesidade seja diagnosticada pelo médico ou nutricionista, deve-se mudar o estilo de vida dos filhos. Além de optar por uma alimentação mais saudável, é preciso incentivar a atividade física, sempre adequada à idade da criança, como a natação ou a recreação, substituindo o computador por atividades que incluam movimentação, ou seja, gastem mais energia.

(Fonte: Terra)

Obesidade já mata mais do que desnutrição, aponta pesquisa

Obesidade já mata mais do que desnutrição, aponta pesquisa

Pesquisa realizada pela Global Health Burden, instituição ligada à Organização Mundial da Saúde, problemas físicos gerados pela obesidade mórbida foram responsáveis por três milhões de mortes em 2010, número três vezes maior do que os óbitos relacionados à desnutrição. De acordo com os dados apresentados, a fome era a principal causa de doenças há 20 anos.

Atualmente, no mundo, mais de 500 milhões de adultos e 42 milhões de crianças são obesos

(Foto: Divulgação)

O resultado do levantamento surpreendeu os pesquisadores, entre eles, o professor Alan Lopez, da Universidade de Queensland, na Austrália.

- Foi surpreendente para nós a disseminação da obesidade em países em desenvolvimento. Não é como nos países ricos, mas (o fenômeno) está crescendo - declarou Lopez, acrescentando que, apesar de ser mais presente em países desenvolvidos, o sobrepeso tornou-se um problema também entre as nações em desenvolvimento.

De acordo com a OMS, a obesidade, junto com a pressão alta e a diabetes, responde por dois terços das mortes causadas por doenças não contagiosas no mundo. Nos Estados Unidos, o excesso de peso é considerado uma epidemia que atinge mais de um terço dos adultos e 17% de suas crianças, segundo o Instituto Nacional de Saúde do país.

Atualmente, mais de 500 milhões de adultos e 43 milhões de crianças abaixo de cinco anos são obesos, e as doenças relacionadas a esse problema estão no topo da lista de causas evitáveis de morte. Indivíduos com sobrepeso têm maiores chances de desenvolver hipertensão, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

(Fonte: Globo Esporte)

Página 212 de 215

Destaque

banner

Video em Destaque

bem-estar

Corpo Clínico

dr-almino-aa

 

Dr. Almino Cardoso Ramos

Diretor Geral da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-manuela

 

Dra. Manoela Galvão Ramos

Diretora administrativa da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-galvao

 

Dr. Manoel Galvão Neto

Coordenador/ Chefe da Endoscopia Bariátrica Avançada da Clínica Gastro Obeso Center

saibamaismais


dr-thales

 

Dr. Thales Delmondes Galvão

Cirurgião da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-nestor-tadashi-bertin-suguitani-m

 

Dr. Nestor Tadashi Bertin

Cirurgião da Clínica Gastro Obeso Center

saiba 


dr-eduardo-bastos-m

 

Dr. Eduardo Bastos

Coordenador Científico da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-raphael-torres

 

Dr. Raphael Tôrres Figueirêdo de Lucena

Cirurgião da Clínica Gastro Obeso Center

saiba

 

Calcule seu IMC

Peso:
Kg
Altura:
m


IMC:

 

Newsletter GOC

Name:
Email: