Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Cogumelos com abacaxi ao forno

Cogumelos com abacaxi ao forno

-INGREDIENTES
1/2 unidade de abacaxi cortado em quadradinhos 400 gramas de cogumelo shiitake e/ou shimeji 1 colher (sobremesa) de manteiga 2 colheres (sopa) de molho de soja (shoyu) light

-MODO DE PREPARO
Sobre uma folha de papel-alumínio, monte uma camada com os quadradinhos de abacaxi e outra com os cogumelos. Acrescente a manteiga e o shoyu. Feche a trouxinha de papel e leve ao forno médio por 50 minutos.

(Fonte: Boa Forma)

 

Este fruto seco pode ajudar a perder peso, diz estudo

Este fruto seco pode ajudar a perder peso, diz estudo

Os frutos secos são um poderoso aliado de uma rotina alimentar plena, mas é do conhecimento geral que é preciso ter cuidado para não exagerar, especialmente quando o objetivo é perder peso.

Ainda assim, uma nova investigação parece apontar para os poderes que um fruto seco, em especial, poderá ter nesta demanda: a noz.

A investigação, levada a cabo pela Universidade da Califórnia, comparou várias dietas e concluiu que “ainda que as nozes apresentem um nível superior de gordura e calorias, uma dieta rica neste alimento está diretamente associada a um nível semelhante de perda de peso e menos gordura”.

Fruto seco também ajuda no colesterol
A pesquisa contou com a participação de 245 mulheres com excesso de peso, às quais foram implementadas três tipos de rotina alimentar: uma dieta baixa em gordura e rica em hidratos, uma dieta baixa em hidratos e rica em gordura e, finalmente, uma dieta rica em nozes, com maior gordura e menos hidratos.

O grupo que mais comeu o alimento, não só apresentou uma perda de peso, como um decréscimo no colesterol.

A reter: as nozes podem ser o snack perfeito para ter sempre à mão, ainda que seja importante não exagerar na quantidade ingerida.

(Fonte: Women's Health)

Dica de quarta: Consuma quinoa

Dica de quarta: Consuma quinoa

Estudo sugere classificar diabetes em 5 grupos – e não apenas 2

Estudo sugere classificar diabetes em 5 grupos – e não apenas 2

O diabetes é uma doença bastante comum – estima-se que ela atinja 9 milhões de brasileiros, segundo Pesquisa Nacional de Saúde realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com o IBGE, em 2015. O mal relacionado ao nível de glicose no organismo é dividido em dois tipos, de acordo com os sintomas e a fase em que se manifesta: enquanto o tipo 1 aparece na infância, o tipo 2 geralmente dá as caras na vida adulta. No entanto, um grupo de pesquisadores sugere que a doença seja separada em até 5 divisões.

O estudo, feito pela Lund University, na Suécia, destaca que o diabetes tipo 2 abrange casos muito diferentes – seja pela idade, seja pelo risco de complicações, seja pela resposta ao uso da insulina. A análise feita com quase 15 mil pacientes na Suécia e Finlândia, com mais de 18 anos e recém-diagnosticados com a doença considerou seis métricas distintas: sensibilidade à insulina, idade em que o diagnóstico aconteceu, índice de massa corpórea, presença de anticorpos ligados ao diabetes autoimune, controle da glicemia no sangue e funcionamento das células que produzem a insulina.

Os resultados encontrados revelam que o diabetes tipo 1 continua sendo a manifestação autoimune da doença, que surge na infância, mas que o diabetes tipo 2 poderia ser dividido em até 4 novas classificações, chamados de grupos.

O tipo mais comum do diabetes foi classificado como grupo 4, que é mais moderado e atinge pacientes mais velhos. Por fim, o grupo 5 seria associado à obesidade – e também é considerado mais leve. Cada um desses grupos é geneticamente distinto, o que mostra que são tipos independentes e não uma evolução da mesma forma da doença.

O grande objetivo da investigação é aprimorar o tratamento do diabetes, para atenuar as possíveis complicações de acordo com cada caso específico: “A nova classificação pode, eventualmente, ajudar a adaptar e atingir o tratamento precoce para pacientes que se beneficiariam mais, representando um primeiro passo para a medicina de precisão em diabetes”, destacou o grupo de pesquisadores.

(Fonte: Boa Forma) 

Salada oriental de pepino

Salada oriental de pepino

-INGREDIENTES
1 pepino grande laminado
2 colheres (sopa) de vinagre de arroz
2 colheres (sopa) suco de limão
1 sachê de adoçante
Sal, pimenta e gergelim a gosto

- MODO DE PREPARO
Corte o o pepino em lâminas e reserve. Se preferir sem casca, pode fazer.
Em um bowl, junte o vinagre de arroz, suco de limão e o adoçante.
Tempere com sal e pimenta a gosto.
Junte o pepino laminado.
Sirva com o gergelim a gosto.

(Fonte: Lucilia Diniz)

Página 5 de 222

Destaque

banner

Video em Destaque

bem-estar

Corpo Clínico

dr-almino-aa

 

Dr. Almino Cardoso Ramos

Diretor Geral da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-manuela

 

Dra. Manoela Galvão Ramos

Diretora administrativa da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-galvao

 

Dr. Manoel Galvão Neto

Coordenador/ Chefe da Endoscopia Bariátrica Avançada da Clínica Gastro Obeso Center

saibamaismais


dr-thales

 

Dr. Thales Delmondes Galvão

Cirurgião da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-nestor-tadashi-bertin-suguitani-m

 

Dr. Nestor Tadashi Bertin

Cirurgião da Clínica Gastro Obeso Center

saiba 


dr-eduardo-bastos-m

 

Dr. Eduardo Bastos

Coordenador Científico da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-raphael-torres

 

Dr. Raphael Tôrres Figueirêdo de Lucena

Cirurgião da Clínica Gastro Obeso Center

saiba

 

Calcule seu IMC

Peso:
Kg
Altura:
m


IMC:

 

Newsletter GOC

Name:
Email: