11 de outubro - Dia Mundial da Obesidade: a dica é descascar mais e desembrulhar menos

A obesidade é uma doença crônica e tem como principal característica o aumento da massa corporal gorda. Conforme a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2019, no Brasil, uma em cada quatro pessoas de 18 anos ou mais estavam obesas, o número equivale a 41 milhões de indivíduos. Já o sobrepeso peso atingia 60,3% da população de 18 anos ou mais de idade, o que corresponde a 96 milhões de pessoas, sendo 62,6% das mulheres e 57,5% dos homens. O Ministério da Saúde informa que a obesidade teve um crescimento de 72% nos últimos 13 anos. 11,8% em 2006 para 20,3% em 2019 e sua frequência é igual entre homens e mulheres. Apesar da obesidade ser uma doença de graves consequências na saúde pública, se a pessoa seguir a rotina de descascar mais e desembrulhar menos, já diminuirá bastante os números de obesos e sobrepesos e suas patologias associadas.   

Uma fórmula a grosso modo é percebida na relação altura e peso, com causas variadas: 

  • Alimentação inadequada
  • Sedentarismo
  • Pré-disposição genética
A obesidade está associada a diversas doenças cardiovasculares como hipertensão arterial, infarto, Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC), diabetes mellitus, gordura no fígado, disfunção sexual, entre outros distúrbios metabólicos. Problemas psíquicos também estão relacionadas ao excesso de peso. 

O combate à obesidade inclui, primordialmente, pelo estilo de vida saudável, tendo uma alimentação equilibrada (proteínas, gorduras boas e carboidratos complexos), exercício físico rotineiro, regulação do intestino e sono regenerador. A correta hidratação deve ser priorizada durante todo o dia. O paciente obeso ou com sobrepeso deve ter a avaliação clínica pelo médico especializado em emagrecimento.

Alimentos ultra processados, enlatados, excesso de carne vermelha, açucarados, frituras, fast food, devem ser retirados do cardápio ou consumidos de maneira mínima. O consumo de hortaliças, frutas e vegetais devem ser mais incentivados. A dica é descascar mais e desembalar menos. 
Números do consumo alimentar na pandemia: 

  • 6% aumento no consumo de doces e chocolates
  • 5% aumento no consumo de embutidos
  • 4% aumento no consumo de congelados
Cálculo - Para calcular o IMC (Índice de Massa Corpórea), divide-se o peso do paciente em Kg pelo quadrado da altura em metros. Se estiver entre 25 e 29,9 considera-se sobrepeso e se o cálculo for igual ou maior a 30, diagnostica-se obesidade, que pode ser graduada em riscos progressivamente maiores. Acima de 35 como obesidade de grau dois e acima de 40 como obesidade grau três. Um tripe é importante para o diagnóstico mais preciso da obesidade: índice de massa corpórea, cintura abdominal e bioimpedância corporal.

(Fonte: Folha Pe/Adaptada)

Todas as postagens

    Fale Conosco

    R. Barata Ribeiro, 237 - conj. 101/102 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01308-000, Brasil
    Tel.: 11 3211-1200 / 11 3125-1222