Vinaora Nivo SliderVinaora Nivo SliderVinaora Nivo Slider

Cupcake de Halloween com mousse de abóbora

Cupcake de Halloween com mousse de abóbora

 

O Dia é das Bruxas, mas em época nenhuma podemos sucumbir à maldição dos doces. Por isso, a tarefa é “emagrecer” as tentações. Assim, ao invés de colocar abóboras nas portas de casa para espantar os fantasmas, podemos simplesmente comê-las!

E, como se trata de uma tradição americana, nada melhor que aproveitar para preparar uma sobremesa típica daquele país, como os cupcakes. O que fica diferente é que esta versão utiliza farinha de arroz – ou seja, é sem glúten.

Com tempo médio de preparo de 45 minutos, a receita a seguir rende 10 porções, com 105 calorias cada.

- Ingredientes:

* Massa

2 colheres (sopa) de adoçante culinário
1 xícara (chá) de farinha de arroz integral
3 colheres (sopa) de cacau em pó sem açúcar
1 pote (200 ml) de iogurte natural desnatado
2 ovos
3 colheres (sopa) de margarina light
1 colher (sopa) de fermento em pó

* Mousse de abóbora

200 g de abóbora cozida
1 pau de canela
1 colher (sopa) de adoçante culinário
50 ml de creme de leite light

- Modo de preparo:

Preaqueça o forno a 180 graus.
Em um bowl, misture o adoçante, as farinhas e o cacau. Reserve.
Num recipiente à parte, junte o iogurte, os ovos e a manteiga.
Bata com um fouet ou garfo até formar uma mistura homogênea.
Junte o resultado delicadamente à mistura da primeira tigela.
Em seguida, adicione o fermento rapidamente para evitar que o óleo separe da massa.
Distribua em forminhas de papel médias, próprias para ir ao forno (ou em fôrmas antiaderentes).
Leve para assar por 20 minutos.

- Mousse de abóbora:

Cozinhe a abóbora com o adoçante e o pau de canela.
Bata no processador, bem batido.
Junte o creme de leite.
Para decorar, coloque em saco de confeiteiro e espalhe por cima dos cupcakes já assados.

(Fonte: Lucilia Diniz)

 

Mulheres obesas ganham menos que homens obesos, diz estudo

Mulheres obesas ganham menos que homens obesos, diz estudo

Um novo estudo conduzido por uma professora de direito da Vanderbilt University mostrou o impacto da obesidade e do gênero sobre a remuneração e a empregabilidade dos norte-americanos.

Segundo a pesquisa, que analisou mais de 10 mil mulheres e quase 9 mil homens nos Estados Unidos, mulheres acima do peso ganham salários mais baixos.

O problema também afeta os homens obesos, mas em uma proporção menos aguda. No caso deles, a diferença salarial para outros homens com peso mediano é de 2 dólares por hora. Já entre as mulheres, o peso é responsável por uma discrepância de 7 dólares por hora.

Além do salário, estar acima do peso também afeta a aceitação da mulher pelo mercado de trabalho. As obesas têm menos chance de conseguir empregos que demandem interação pessoal, e mais chance de trabalhar com atividades que exigem esforço físico. O mesmo não ocorre com os homens acima do peso.

A desigualdade não para por aí: mesmo que tenham empregos que envolvam interação social, as obesas ganham menos do que suas colegas mais magras.

A hipótese da pesquisadora Jeniffer Shinall é que a sociedade promove discriminação que não vale de forma igual para os dois gêneros. "Empregadores, colegas e/ou clientes podem considerar a obesidade menos aceitável em mulheres do que em homens", escreveu Shinall.

(Fonte: Exame)

Cinco razões científicas para temperar os alimentos com especiarias e melhorar sua saúde!

Cinco razões científicas para temperar os alimentos com especiarias e melhorar sua saúde!

 

1) Aumentar o consumo de alimentos saudáveis
Segundo James O. Hill, da Universidade de Colorado, adicionar ervas e especiarias aos pratos de baixa gordura (como carnes magras, vegetais e massas) torna esses pratos mais apetitosos. Dados de sua pesquisa indicam que os pratos pouco gordurosos foram classificados como tão saborosos quanto sua versão mais calórica quando continham esses temperos.

2) Diminuir o consumo de sódio
Especiarias e ervas têm o potencial de dar sabor aos alimentos sem precisar de tanto sal. Uma pesquisa realizada pela Universidade Johns Hopkins comprovou que as pessoas que usam maior variedade de temperos no preparo da comida consomem menor sal. Os participantes que usavam especiarias e ervas consumiam uma média de 966 mg por dia a menos de sódio.

3) Melhorar o metabolismo e a saciedade
Segundo uma pesquisa desenvolvida por Margriet Westerterp-Plantenga, da Universidade de Maastricht, a pimenta vermelha aumenta o gasto energético e a saciedade em adultos. Seu estudo concluiu que a pimenta vermelha pode ajudar as pessoas que estão tentando controlar o seu peso.

4) Reduzir os fatores de risco cardiovascular
De acordo com uma pesquisa da Universidade do Estado da Pensilvânia, adicionar uma mistura de especiarias a uma refeição rica em gordura ajuda a diminuir os índices de insulina e triglicérides em relação a mesma refeição sem os temperos. Segundo a pesquisadora Sheila Oeste, adicionar especiarias a carne de hambúrguer ajuda a proteger da oxidação.

5) Melhorar a sensibilidade à insulina
A canela pode ajudar a melhorar os níveis de glicose no sangue e diminuir a sensibilidade à insulina, segundo um estudo desenvolvido por Richard Anderson, da Beltsville Human Nutrition Research Center.

(Fonte: Zero Hora)

Estudo mostra como um casamento conturbado e depressão podem gerar obesidade

Estudo mostra como um casamento conturbado e depressão podem gerar obesidade

 

Discutir com seu cônjuge pode gerar quilos a mais — principalmente se você sofrer de depressão. Um estudo realizado pela universidade de Ohio, nos Estados Unidos, mostrou que que brigas alteram as funções metabólicas do organismo e podem prejudicar a digestão de uma alimentação rica em gordura.

Na pesquisa, homens e mulheres com histórico de depressão que discutiram acaloradamente com seus parceiros queimaram menos calorias e tiveram níveis mais elevados de insulina e de triglicerídeos depois de comer uma refeição pesada, quando comparados aos participantes sem esses fatores de risco.

O casamento conturbado faz com que haja um gasto médio de 118 calorias a menos — o que pode acarretar um ganho de peso de até 12 quilos em um ano. Além disso, casais que brigam muito podem apresentar fatores que aumentam o risco de doença cardíaca e diabetes.

— Estes resultados não só mostram como o estresse crônico pode levar à obesidade, mas também aponta para o quanto é importante controlar transtornos de humor. Intervenções para a saúde mental podem beneficiar a saúde física também — disse Jan Kiecolt-Glaser, principal autor do estudo.

Segundo o médico, as refeições podem proporcionar momentos de desentendimentos entre os casais.

Os pesquisadores recrutaram 43 casais saudáveis, com idades entre 24 e 61 anos, que estavam casados há pelo menos três anos. Como parte do estudo, os participantes completaram uma série de questionários, além de fazer refeições com calorias que simulavam uma alimentação feita com fast food.

Duas horas mais tarde, os casais foram convidados a discutir e tentar resolver uma ou mais questões que os pesquisadores haviam anteriormente estabelecido: dinheiro, comunicação entre o casal e sogros. A partir daí, os pesquisadores realizaram exames para comparar os níveis de queima de calorias entre os casais que tinham brigado e os que não haviam se desentendido durante a conversa.

(Fonte: Zero Hora)

 

Tomar sol pode retardar obesidade e diabetes, diz estudo

Tomar sol pode retardar obesidade e diabetes, diz estudo

A exposição moderada ao sol pode retardar o desenvolvimento de obesidade e diabetes, sugere um estudo feito pelo Telethon Kids Institute in Perth, da Austrália. Os pesquisadores viram que raios solares desaceleraram o ganho de peso em ratos. Além disso, os animais apresentaram menos sinais ligados ao aparecimento de diabetes — como níveis de glicose anormais e resistência à insulina.

Os efeitos benéficos do tratamento com raios de sol estão ligados a um composto chamado óxido nítrico, que é liberado pela pele após a exposição à luz solar. A aplicação de um creme contendo tal substância em ratos superalimentados reduziu o ganho de peso nos animais. A vitamina D — que é produzida pelo corpo em resposta à luz solar — não influenciou no resultado, dizem os pesquisadores.

Segundo os cientistas, os resultados devem ser interpretados com cautela, pois os ratos são animais noturnos e não costumam ser expostos a muita luz solar. Estudos são necessários para confirmar se os mesmos efeitos se aplicam a pessoas.

— Estas observações indicam que as quantidades de óxido nítrico liberado a partir da pele podem ter efeitos benéficos não só no coração e nos vasos sanguíneos, mas também sobre a forma como nosso corpo regula o metabolismo — afirma Martin Feelisch, responsável pelo estudo.

(Fonte: Zero Hora)

Página 1 de 62

Video em Destaque

bem-estar

Corpo Clínico

dr-almino-aa

 

Dr. Almino Cardoso Ramos

Diretor Geral da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-manuela

 

Dra. Manoela Galvão Ramos

Diretora administrativa da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-galvao

 

Dr. Manoel Galvão Neto

Coordenador/ Chefe da Endoscopia Bariátrica Avançada da Clínica Gastro Obeso Center

saibamaismais


dr-thales

 

Dr. Thales Delmondes Galvão

Cirurgião da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


dr-nestor-tadashi-bertin-suguitani-m

 

Dr. Nestor Tadashi Bertin

Cirurgião da Clínica Gastro Obeso Center

saiba 


dr-eduardo-bastos-m

 

Dr. Eduardo Bastos

Coordenador Científico da Clínica Gastro Obeso Center

saiba


 

Calcule seu IMC

Peso:
Kg
Altura:
m


IMC:

 

Newsletter GOC

Name:
Email: